quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Mai, a garota sensitiva.


Os japoneses adoram paranormais??

Aparentemente sim. Os mangas japoneses costumam usar e abusar desse assunto. Grandes histórias já foram feitas sobre o tema, aqui mesmo no meu blog, eu já escrevi sobre outro manga incrivel com o mesmo tema: paranormalidade. No manga Akira, de Katsuhiro Otomo, vemos um Japão mais futurista, bem ao estilo underground/cyberpunk, porém com paranormalidade. Aqui neste, temos um Japão mais nos dias de hoje, com conflitos típicos, de adolescentes típicos (colegias, japoneses A D O R A M colegias...). O manga, conta a história de Mai Kuju, "típica" adolescente de 14, que é detentora de um poder secreto. Não tão poderoso como o do Akira, mas com força suficiente para mudar o rumos do mundo. Esse poder, óbvio, não é de domínio público. Apenas seu pai e uma organização secreta, chamada "A aliança da sbedoria", conhece a real proporção do poder de Mai Kuju. Claro e evidente que essa organização quer controlar Mai, alias essa organização vem mandando no mundo à anos (pelo amor de Deus nerds, não tem nada haver com os Iluminatti...). Esses poderes foram herdados de sua mãe, já falecida e muito da história, foca nas circunstâncias que ela morreu. Por gerações, esse poder permaneceu em segurança, no entanto, graças a tal organização, tudo está ameaçado.

Cheio de ação, flashbacks, perseguições, lutas com demosntração de artes marciais, além de lutas com outros paranormais, neste manga temos muita informação sobre Tokio, templos, rotina do cidadão comum,...para quem gosta de cultura japonesa (eu amo, não sei se deu para perceber...), é um prato cheio. A história é bem escrita e os desenhos, em estilo ocidental de leitura ( a minha versão, que foi lançada em 1992, pela editora abril...), tudo em preto e branco, leva o leitor para dentro da trama literalmente. Com roteiro de Kazuya Kudo e arte de Ryoichi Ikegami, essa revista é obrigatória se você ama quadrinhos japoneses, ou apenas é um nerd de bom gosto, e gosta de ler uma boa história. Se você gostou do post, clique aí e me siga no Twitter e conheça minha página do Facebook. Vou deixar os link aqui embaixo, caso você queira conhecer Mai Kuju, agora para os nerds que preferem ler em papel, acho que tem para vender pelo mercado livre, eu não vendo minhas coleções nem morto, hehehe. Abraços.








Um comentário: