quarta-feira, 19 de junho de 2013

Thor, O Deus do Trovão...como deveria ser!


Qual a diferença entre um cimério e um nórdico??


Bem amigos, mais um post sobre o Deus do Trovão. Dessa vez, com uma participação mais do que especial, o bárbaro mais conhecido do mundo, Conan. Já contei aqui no blog outras vezes que os quadrinhos de Conan, sempre foram uma grande paixão para mim. Na verdade, comecei a ler quadrinhos com Espada Selvagem de Conan. Já o nosso amigo Thor, o Deus do Trovão, eu conheci um pouco depois. Pelas páginas da extinta Herois em ação. Não foi um personagem que me cativou, tenho que admitir! Entretanto, acredito que quando um personagem é bem tratado e suas histórias são bem escritas, qualquer personagem é capaz de brilhar. Mesmo aqueles que não têm tanto carisma (Aquaman, da DC ou Homem-Formiga, da Marvel são exemplos disso...). A verdade é que uma boa história, não depende do personagem. E sim de quem conta (ou escreve...whatever!). Essa é a história em questão.


De um lado temos Conan, um bárbaro que tem como maior finalidade de sua vida, simplesmente viver. E em alguns casos sobreviver, seja do jeito que for. De outro lado, um Deus, um tanto mimado, birrento e arrogante, porém com o coração no lugar certo. Existe uma diferença de poder enorme entre eles, para dizer o mínimo. Agora imagine esses dois heróis interagindo... O resultado é bem óbvio. Claro que vão se desentender no início, mas não esqueçam que ambos são bons, honrados acima de tudo. É interessante ver como o Deus do Trovão, age sem seus vastos poderes. E é interessante ver Conan, ajudando alguém como ele. Realmente, é o tipo de história que não se vê ou se escreve toda hora. Apesar das histórias do Thor não serem tão relevantes para mim, pois como já disse, ele está longe de ser meu personagem predileto, tenho que dar a mão à palmatória quando algo é bem escrito.


Infelizmente, são dois heróis que não estão sendo bem tratados pelo cinema, apesar do grande potencial. No longa metragem “Thor”, o que vemos é um filme para as meninas suspirarem e assim cativar um público feminino fiel. Em Avengers, o personagem Thor está mais para peso de papel do que para personagem em si. Com Conan, a situação é bem pior. Os filmes com o Arnold eram bacanas e são clássicos. Agora o reboot... pelo amor de Crom, que porcaria foi aquela? É lógico que os quadrinhos sempre vão ser melhores que os filmes, isso é fato. Todavia existem formas melhores de se fazer a transcrição da HQ para as telas de cinema. Tenho esperança de que um dia, Hollywood aprenda com seus fracassos.


Vou ficando por aqui amigos. Quem puder ou quiser ir atrás dessa história, terá que ralar muito para achar pelos sebos. Eu não vendo minha coleção nem sob tortura, além do fato de ter uma herdeira que faz questão de ficar com meu acervo. Contudo, vou deixar um link de um brother que tem muitos scans e tem inclusive essa obra. Na verdade, ele tem muitas coisas que eu já falei por aqui pelo blog. Quem quiser conhecer o trabalho do cara clique aqui. E para aqueles que quiserem saber um pouco mais sobre Conan e seu criador Robert E. Howard clique aqui. Obrigado pela atenção. Abraços.


Nenhum comentário:

Postar um comentário